Fafe registou 25 casos por dia nos últimos 14 dias

O concelho de Fafe registou nos últimos 14 dias, cerca de 361 casos de covid-19, segundo os dados revelados esta segunda-feira pela Direção Geral da Saúde.

Fafe baixou de nível de risco para “muito elevado”, tendo 722 casos por 100 mil habitantes, menos 489 que na semana passada.

Tudo isto num dia em que foram registados mais 1303 casos de pessoas infetadas com o SARS COV2 e em que morreram mais 90 pessoas, totalizando já 15411 óbitos por covid-19.

Registaram-se ainda 3538 pessoas recuperadas.

Primeiros Bombeiros de Fafe vacinados à covid-19

Os Bombeiros de Fafe começaram hoje a toma da primeira dose da vacina contra a covid-19. Estes pequenos mililitros no corpo de cada um, são a esperança de não contraírem uma doença, que nos pode atingir a todos de forma transversal, não escolhendo raças, géneros ou idades. E os Bombeiros, como força da “linha da frente”, são quem mais riscos corriam, no socorro de outros, de forma sucessiva. Apesar da toma desta vacina, não descurarão todos os cuidados e proteções como até aqui, mas é um sinal de esperança para que num futuro próximo, tudo volte à normalidade.

Junta e Câmara assinam protocolo de execução de obras

Foi assinado o protocolo entre a Junta de Freguesia de Fafe e Câmara Municipal de Fafe a fim da execução de obras na freguesia. Referiu Paulo Soares: “Este protocolo permite-nos mais uma vez executar algumas obras que achamos essenciais na nossa freguesia, no valor total de 122.283,00 €. No global, julgo que temos vindo a cumprir, pelo menos com a verba que nos é disponibilizada, que tem sido toda ela aplicada a 100%, mas claro não conseguimos chegar a todos os pontos, onde seria necessário intervir, quer em pavimentações, quer em infraestruturas, quer em equipamentos. Com esta verba, curta, o plano é sempre feito a curto ou médio prazo.”

Processo de Qualificação da Vitela Assada à Moda de Fafe

Iniciou-se em dezembro de 2020, oficialmente, o processo de qualificação do prato Vitela Assada à Moda de Fafe como Especialidade Tradicional Garantida.
Com o objetivo de proteger o nome/a marca do produto contra imitações e utilizações indevidas e, relativamente aos consumidores, dar garantias e informação segura sobre as características específicas do prato, pretende-se avançar para a qualificação, através da valorização deste prato tradicional, que tem vindo a ser promovido para que seja um produto emblemático da gastronomia do território, como tem acontecido através da realização anual do Festival de Vitela Assada à Moda de Fafe.
Com a elaboração do respetivo caderno de especificações, o processo será remetido, em primeira instância, à autoridade nacional responsável, a Direção Regional de Agricultura e Pescas, que, por sua vez, após parecer favorável, o remeterá para a Direção-Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural, sendo finalmente submetido o pedido de registo à União Europeia.
A valorização deste produto tradicional será concretizada considerando o respetivo potencial económico atual e futuro, a transversalidade do produto, a genuinidade do produto e do processo de transformação e o impacto económico e turístico para a região.
Em simultâneo, este processo implicará:
i) a realização de quatro workshops, dirigidos a empresários e colaboradores do setor da restauração, no sentido de produzir um upgrade, ao nível da definição e apresentação de menus, da apresentação dos produtos e vinhos;
ii) a realização de quatro workshops, dirigido à confraria, entidades locais que organizam eventos, produtores agroalimentares, técnicos especializados associados à área da restauração, no sentido de desenvolver competências ao nível da avaliação sensorial de produtos alimentares, explorando os aspetos mais relevantes da organização de uma prova sensorial;
iii) a realização de duas ações de capacitação/workshops sobre Inovação, Investigação & Desenvolvimento sobre o produto ou gastronomia tradicional.
Inserida numa candidatura no âmbito do projeto “Minho Região Europeia da Gastronomia”, aprovado pelo Norte 2020, este projeto visa intervir nos domínios do setor agroalimentar e da gastronomia, que se revelam fundamentais para a promoção de inovação e da afirmação das apostas de especialização inteligente no território do Minho, apresentando como objetivo geral a “dinamização de um conjunto diversificado de iniciativas tendo em vista a valorização económica do Minho enquanto região gastronómica de excelência”.

Vespa Velutina – Comunicações

O Município de Fafe disponibiliza a partir da presente data um formulário que permitirá a quem visualize ou conheça a existência de um ninho de vespa velutina, efetuar de forma fácil, rápida e intuitiva a comunicação do mesmo para o município. Formulário para comunicação de ninhos: https://arcg.is/1fX8mfCom o objetivo de reforçar a divulgação do procedimento de comunicação de ninhos, remete-se em anexo um cartaz para que possam imprimir e afixar na freguesia. Informamos ainda que o link do formulário de comunicação de ninhos também se encontra disponível na página principal do município em www.cm-fafe.pt .
O município relembra que esta espécie exótica, tem efeitos nocivos para o bem-estar e a segurança dos cidadãos (apesar de não serem mais agressivas que a espécie europeia, no caso de sentirem os ninhos ameaçados reagem de modo bastante agressivo, incluindo perseguições até algumas centenas de metros), para agricultura (efeito indireto pela diminuição da atividade polinizadora das abelhas e ainda afetar a produção frutícola, ao serem estas espécies vegetais fontes de carbo-hidratos na dieta destas vespas), para a apicultura (por se tratar de uma espécie carnívora e predadora de abelhas) e para o ambiente (é uma espécie não indígena, predadora natural das abelhas e outros insetos, causando impactos na biodiversidade).