Processo de Qualificação da Vitela Assada à Moda de Fafe

Iniciou-se em dezembro de 2020, oficialmente, o processo de qualificação do prato Vitela Assada à Moda de Fafe como Especialidade Tradicional Garantida.
Com o objetivo de proteger o nome/a marca do produto contra imitações e utilizações indevidas e, relativamente aos consumidores, dar garantias e informação segura sobre as características específicas do prato, pretende-se avançar para a qualificação, através da valorização deste prato tradicional, que tem vindo a ser promovido para que seja um produto emblemático da gastronomia do território, como tem acontecido através da realização anual do Festival de Vitela Assada à Moda de Fafe.
Com a elaboração do respetivo caderno de especificações, o processo será remetido, em primeira instância, à autoridade nacional responsável, a Direção Regional de Agricultura e Pescas, que, por sua vez, após parecer favorável, o remeterá para a Direção-Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural, sendo finalmente submetido o pedido de registo à União Europeia.
A valorização deste produto tradicional será concretizada considerando o respetivo potencial económico atual e futuro, a transversalidade do produto, a genuinidade do produto e do processo de transformação e o impacto económico e turístico para a região.
Em simultâneo, este processo implicará:
i) a realização de quatro workshops, dirigidos a empresários e colaboradores do setor da restauração, no sentido de produzir um upgrade, ao nível da definição e apresentação de menus, da apresentação dos produtos e vinhos;
ii) a realização de quatro workshops, dirigido à confraria, entidades locais que organizam eventos, produtores agroalimentares, técnicos especializados associados à área da restauração, no sentido de desenvolver competências ao nível da avaliação sensorial de produtos alimentares, explorando os aspetos mais relevantes da organização de uma prova sensorial;
iii) a realização de duas ações de capacitação/workshops sobre Inovação, Investigação & Desenvolvimento sobre o produto ou gastronomia tradicional.
Inserida numa candidatura no âmbito do projeto “Minho Região Europeia da Gastronomia”, aprovado pelo Norte 2020, este projeto visa intervir nos domínios do setor agroalimentar e da gastronomia, que se revelam fundamentais para a promoção de inovação e da afirmação das apostas de especialização inteligente no território do Minho, apresentando como objetivo geral a “dinamização de um conjunto diversificado de iniciativas tendo em vista a valorização económica do Minho enquanto região gastronómica de excelência”.